Unknown-3

Sethrida Geagea

A mulher libanesa é considerada uma mulher que desfruta de mais direitos do que mulheres de outros países do Oriente Médio, no Líbano a mulher tem mais liberdade de se vestir do jeito que quer, sem interferência de leis do governo, como acontece em outros países árabes e do Oriente Médio. Mulheres no Líbano tem mais liberdade de ir para discotecas e desfrutar livremente da famosa vida noturna que o Líbano oferece. Mas como a mulher libanesa é vista na política? Será que essa liberdade que ela tem como cidadã, também é refletida no parlamento e nos ministérios do Líbano?

 

 

Nayla Tueni

Nayla Tueni

Em 1952, a mulher libanesa ganhou o direito de votar no Líbano, mas havia uma condição a mulher deveria ter no mínimo o ensino primário completo para poder votar, porém em 1957, essa condição foi suspensa, e todas as mulheres do Líbano independentemente de sua educação, ganharam o direito de votar. A constituição libanesa fala em seu artigo 7, que todo libanês é igual perante a justiça e todos tem papeis iguais na sociedade, todos tem direitos políticos e civis iguais, porém na prática não é isso oque acontece, embora a mulher libanesa ganhou seu direito de votar nas eleições libanesas, a representação feminina no parlamento, nos ministérios e no governo em geral é mínima, quase nula algumas vezes. O campo da política no Líbano, assim como no resto do mundo, é formado majoritariamente por homens. Constitucionalisticamente, a mulher tem os mesmos direitos que o homem tem na política, ela pode se candidatar e conduzir a política da mesma forma que o homem conduz, mas, isso não é visto na prática.

Nas eleições parlamentais de 2009, haviam apenas 17 candidatas mulheres em meio a centenas de cadidatos homens, isso mostra de como o Líbano continua sendo uma sociedade patriarcal. Existem muitos partidos políticos no Líbano, e basicamente todos os partidos são comandados e formados por homens, as pouquíssimas mulheres que fazem parte de algum partido, ou estão no holofote da política libanesa, é por causa que elas fazem parte das famílias que governam o Líbano, algumas são casadas com líderes políticos, outras são irmãs e por aí vai…

 

president-banner

Bahia Hariri

Atualmente, existem 4 mulheres no parlamento libanês; Bahia Hariri, Nayla Tueini, Sethrida Geagea, e Gilberte Zwein, mas como menionei antes, muitos acham que elas só chegaram nas posições atuais, porque elas fazem parte das famílias da elite política que governa o Líbano há décadas.

Apesar do Líbano ser visto como um país liberal em relação ao Mundo Árabe e Oriente Médio, a porcentagem de mulheres na política libanesa é vergonhosa comparado a países mais conservadores do Oriente Médio como Síria, Iraque, e Jordânia. Enquanto apenas aproximadamente 3% do parlamento libanês é ocupado por mulheres, na Jordânia essa porcentagem ultrapassa os 12%, no Bahrein chega a 7%, no Iraque, a representação feminina no parlamento é de 26%, uma supresa para muitos. Mas o baixo índice de representação feminina na política não é algo relacionado apenas ao Oriente Médio, no Brasil esse índice é de 9%, e no Japão também.

O Líbano está na posição 177 de representação feminina, e o Brasil, não está tão adiantado assim também, o Brasil está na posição 154.

O Líbano certamente é um país heteregêneo em uma região totalmente homogênea, onde pessoas de diferente crenças religiosas coexistem, fazendo do Líbano um oásis em pleno Oriente Médio, porém quando o assunto é mulher na política, o Líbano deixa de ser um oásis, e sim, apenas mais um país onde o sistema patriarcal reina.

Referência das porcentagens :Women in National Parliaments

www.ipu.org

por Ibrahim Smidi

This post is also available in: enEnglish (Inglês)