A capa do especial Monte Líbano não poderia deixar de falar sobre uma marca tão representativa e importante no Líbano como o sorvete Glace Maurice Bachir. Contar essa bonita história é tão gostoso quanto o sabor do sorvete dessa sorveteria libanesa.

14731148_1421125194568893_1986561329741431043_n 14656259_1421125177902228_8785259883442973610_n

 

A Glace Maurice Bachir foi fundada por dois irmãos casados com duas irmãs Sr.Maurice Bachir e Sra.Yvette e seu irmão Sr.Edouard (falecido) e Sra.Antoniette Bachir em 1936 na cidade de Bikafya, na província do Monte Líbano.

img_3409

Sra.Antoniette, Maurice e Sra. Yvette Bachir em sua casa em Bikfaya

Tudo começou com os dois casais, e desde então vem passando pelos seus descendentes de Edouard e Antoniette Bachir, uma vez que o Sr. Maurice Bachir e Yvette não tiveram filhos, mas cuidaram de seus sobrinhos, como se fossem seus próprios filhos e o nome da empresa é uma homenagem ao fundador, Sr.Maurice Bachir( falecido) e atualmente a 3a geração está a frente dos negócios da família.

Connection Beirut foi recebida pelo herdeiro dessa linda família, Maurice Bachir, neto de um dos fundadores, Sr. Edouard Bachir. Maurice é casado com a brasileira Anna Carolina Kairouz Bachir, que nos recebeu em sua propriedade em Bikfaya, onde tivemos a oportunidade de acompanhar a preparação do sorvete e saber mais sobre história dessa marca tão importante no Líbano.

Bikfaya, que na língua siriaca, significa casa da pedra, é uma bela cidade situada entre lindas montanhas, ao norte do Líbano, cerca de 50 min de Beirute, e possui uma arquitetura ímpar, com suas casas cheias de pedra que remontam o tempo do Líbano de grande prosperidade. Lá, Maurice e Edouard começaram a fazer a sobremesa de leite com misque nos fundos da casa, aproveitando as frutas, o leite abundante na região, e para a preservação da qualidade do produto, utilizavam o gelo das montanhas de Bikfaya já que não existia na época refrigeradores.

O primeiro café localizado em Bikfaya era um local onde se recebia os amigos, jogavam cartas, sendo a produção produzida e vendida no mesmo dia, já que não existiam freezers na época. Os sabores à época era somente baunilha com misque, que é um sabor típico do Líbano, especiaria abundante em Bikfaya e que dá o sabor tradicional dos doces libaneses.

Em 1960, o Sr. Edouard Bachir decidiu comprar refrigeradores, algo extremamente inovador para época, vindo toda o maquinário diretamente da Dinamarca para o Líbano.

14718604_1419819461366133_9033017658298221866_n

Família Bachir

 

Em 1981, eles decidiram abrir a segunda loja em Jal- El Dib. E mesmo durante a guerra civil ocorrida no Líbano (1975-1990), a produção e venda não parou, demonstrando a força do povo libanês, mesmo tendo a fábrica bombardeada por diversas vezes, sem possuir energia elétrica, e renovada sempre.

E assim começaram a aumentar a produção e tiveram mais de 80 franchisings até 2000. Contudo a família decidiu fechar os franchisings para garantir a qualidade do produto tão preservada pelos seus fundadores em 2005.

E a partir de 2010, começarem a reconstruir suas próprias lojas e atualmente são 40 lojas, que apresentam 20 sabores diferentes, e os favoritos até hoje são baunilha, ashtar, que seria a nata do leite em português e obviamente o chocolate.

img_3401

Maurice Bachir na casa de seus avós, fundadores da sorveteria Glace Maurice Bachir

O meu preferido com certeza é o chocolate mou. Mas o maior segredo é o chantilly da Glace Maurice Bachir. A produção do mais antigo e tradicional sorvete libanês é guardada a 7 chaves, sendo de conhecimento de apenas um dos herdeiros da Bachir, o responsável pela produção, já que a produção é praticamente quase em sua totalizada industrial.

Mas o que faz o sorvete da Bachir tão especial é a seleção natural das frutas frescas assim como o leite, o que permite que o sorvete não perca seu sabor tão antigo aos dias atuais, lembrando aquele sabor de infância, que todo libanês alguma vez se recorda dos passeios de domingo, após o dia de praia, a parada quase que obrigatória na sorveteria Glace Maurice Bachir, para se refrescar com uma das delícias Bachir.

img_3428

Maurice Bachir e o retrato de seu avó Edouard

 

Maurice Bachir nos conta que um dos projetos para Bachir é expandir para o sul do Líbano e produzir novos sabores estão em estudo, trazendo inovação ao gosto tradicional libanês. Claro que o sabor de rosas, bem característico da região libanesa não poderia faltar, mas por influência de sua esposa Anna Carolina Kairouz Bachir, brasileira, sendo já cogitou o famoso maracujá e o brigadeiro, sabores tão tradicionais no Brasil.

A nova geração resgata e valoriza as origens libanesas da marca, bem como o conceito já consolidado na produção de sorvetes.

Com receitas tradicionais assim como sabores inovadores, os ingredientes são selecionados seguindo padrões, resultando em um produto de qualidade ímpar: respeitando a textura cremosa até a consistência e o sabor, típico do sorvete Bachir. Que afinal, é delicioso e tentador.

O que faz a Bachir ter esse impressionante crescimento e expansão, são as escolhas dos locais de venda do produto, qualidade e certificação de competência pelas autoridades libanesas, uma vez que a Bachir preserva seu sobrenome, e vem adoçando a boca dos libaneses há 80 anos com o mesmo sabor. Garanto que é impossível resistir ao sorvete que você pode adicionar cerca de 8 sabores numa mesma casquinha, e não se esqueça de adicionar o chantilly no topo para finalizar com um toque especial inventando pela matriarca da família.

Experimente o autêntico sabor do Glace Maurice Bachir.

Por Viviane Carvalho

14695364_1421118221236257_7148424736145737888_n 14695441_1421118187902927_355369774574971442_n

This post is also available in: enEnglish (Inglês)