Finalmente o verão!  Fim das aulas, das obrigações, e a estação onde tudo acontece!

É quando o país oferece uma gama de opções para todos os gostos, públicos, e bolsos!

 

Do final de junho até o final de setembro, ocorrem muitas formaturas, exames de admissão em faculdades, ou o exame nacional, além de muitos casamentos, festivais nacionais e internacionais, e muitas festas (diurnas e noturnas), para turistas, solteiros e famílias.

 

Esta é a época do ano, onde o turismo comanda; e turistas do mundo inteiro aproveitam para conhecer e visitar o país, outros vêm para rever os familiares e amigos, ou simplesmente, se divertir, relaxar e passear.

 

 

– Festival Internacional de Ehden (agosto): Destaque esse ano para o show da dupla francesa Michelle Torr e Herve Vilard.

 

Durante o mês de agosto as cidades montanhesas mostram que também sabem realizar eventos internacionais e de qualidade. Porém, Beiteddine, Bcharre (Cedros) e Baalbeck seguem uma linha mais clássica em suas performances, dando maior ênfase a artistas do cenário musical árabe.

 

– Festival Internacional dos Cedros: Destaque esse ano para o show da cantora Magida El Roumi (05/08).

– Festival Internacional de Baalbeck: Destaque esse ano para o cantor Mika (04/08).

 

Apesar das altas temperaturas, que atingem muitas vezes acima dos 40°C na capital e toda a costa, essa é a melhor época do ano para visitar os pontos turísticos do país, descobrir novos lugares, e visitar outros vilarejos e lugares não tão populares, quanto os já conhecidos.

 

Muitos libaneses não suportam o calor, e sobem para suas casas de montanha para passar o verão, onde o clima está muito mais fresco e agradável, chegando até mesmo, a dar uma leve esfriada a noite. Mas para quem opta em curtir as praias do mediterrâneo, esse é o momento ideal para pegar o bronzeado dos sonhos e curtir todas as festas que acontecem nos resorts, seja durante o dia, ou à noite.

 

Esta é uma ótima oportunidade também, para visitar várias cidades nas montanhas, ver os famosos cedros do Líbano, contemplar a paisagem rústica, estar com a família e amigos, descobrir lugares novos, aproveitar o clima e fugir do calor, passar um dia diferente, fazer atividades ao ar livre, experimentar a gastronomia montanhesa, aprender algo novo com a cultura regional… E lógico: comprar os souvenires típicos do Líbano, caso você seja um turista de passagem pelo país.

 

Nessa época, o orçamento familiar também aumenta, porque o consumo de luz e do motor gerador de eletricidade aumenta (aqui paga-se para ter eletricidade duas vezes, lembra?), e os que saem de suas casas na capital ou cidades da costa, para a casa da montanha, também vão precisar providenciar algumas coisas para garantir o seu conforto e comodidade durante sua estadia. Coisas básicas, mas que acabam aumentando as contas, como: supermercado, instalação ou reativação de serviços de luz, motor, internet, televisão… (Sim, no Líbano se paga até para assistir TV).

 

Quem fica no vaivém entre montanha e costa, arca com as despesas das duas casas, mas quem opta por ficar todo o verão nas montanhas, desativa todos os serviços básicos na casa em que vive, e ativa-os, apenas na casa das montanhas, durante o verão. E quem não possui uma casa nas montanhas, e não gosta também de ficar hospedado em casa de familiares, aluga chalés para temporada, e assim passa o verão nas montanhas. Um chalé na montanha para temporada, dependendo da região, não custará menos que – no mínimo – US$500,00 mensais.

 

De norte a sul, e também no Vale do Bekaa, o Líbano possui diversas cidades de montanha famosas, turísticas, repletas de paisagens de tirar o fôlego, com inúmeros sites arqueológicos, mosteiros milenares, reserva florestal, museus históricos, com atrativos e gastronomias regionais imperdíveis.

Caminhadas, trilhas, campings, passeios a cavalo, rapel e escalada, tirolesa, cachoeiras, grutas, cavernas, mountain bike, mountain safári, voo de balão de ar quente, skywalking, pedalinho no lago, passeios de ATV e karting, são algumas das atividades que podem ser feitas na natureza e nas regiões montanhesas.

 

Cada vilarejo tem seu charme, suas paisagens, suas peculiaridades que encantam, e merecem destaque. No vale do Bekaa, por exemplo, visitar as vinícolas libanesas, e as fazendas que produzem os derivados do leite é um passeio interessante.

 

Mas para quem não curte montanhas, e quer curtir apenas praias e piscinas, o país ainda tem de norte a sul, 225 km de costa, com centenas de resorts e praias (pagas e gratuitas – sendo a maioria paga) com inúmeras atividades, como: Passeios de barco, voo panorâmico, locação de Jet ski, mergulho, surf e Wind surf, parapente, esqui aquático, rafting, parque aquático…

 

Porém é preciso alertar que algumas praias não estão apropriadas para banho, em virtude de poluição e esgoto. Este ano, os lugares não indicados para entrar no mar são: Trípoli, Chekaa, Selaata, Jounieh, Nahr el Kalb, Ramlet el Bayda e Jiyeh.

Em todas as demais cidades, a água está limpa e livre de poluição e esgoto.

 

Além de tudo mencionado até agora, ainda temos que citar as “baladas” que rolam tanto durante o dia, quanto a noite, a beira mar ou piscina – e até mesmo em barcos – além das tradicionais “baladas” nos diversos pubs (fechados, ao ar livre, e em rooftops) e danceterias de Beirute, Jounieh, Jbeil e Batroun, que são famosas por sua intensa e fervente vida noturna.

 

E para os que curtem passeios menos festivos e agitados, há as feirinhas de rua, uma tendência que vem crescendo no país. É o caso do “Souk El Tayeb”, um mercado de agricultores que acontece em Beirute desde 2004 e que visa celebrar os alimentos e as tradições que unem as comunidades. O mercado ainda visa apoiar e promover os pequenos agricultores e produtores de várias regiões, e ainda, encorajar a agricultura orgânica e ecológica, no intuito de aprimorar a qualidade dos alimentos no país.

 

“Souk El Tayeb” ainda organiza:

– Um mercado para os produtores locais para a venda de vários produtos locais e frescos, mouneh caseiro, pratos tradicionais locais e artesanato tradicional local.

– Almoço da aldeia, onde os visitantes desfrutam de vários diferentes pratos tradicionais das aldeias, preparados pelos próprios moradores das respectivas aldeias.

– Entretenimento, comemorando cada festa ou atividade específica regional através de concursos (como “o mais delicioso prato local”, e etc.), e entretenimento tradicional regional como: zajal, Dabkeh etc.

– Visitas guiadas para promover a beleza natural específica de cada região.

– Atividades pedagógicas voltadas para as crianças, com tradições específicas de cada aldeia.

 

 

Além do “Souk El Tayeb”, há também o “Souk El Akel”, um mercado de variedades gastronômicas que vem fazendo muito sucesso no centro da capital libanesa e eventualmente em outras cidades. Nesse mercado é possível degustar especiarias libanesas e também pratos de vários outros países.

 

Diretório informativo de interesse:

– Souk El Akel

Toda quinta-feira das 19hs à meia noite.

Youssef Rami Street – atrás da Prefeitura de Beirute.

 

– Souk El Tayeb

Todo sábado das 9hs às 14hs

Beirut Souks – Downtown de Beirute

(Esporadicamente outras cidades também sediam o evento)

Por Claudinha Rahme

This post is also available in: enEnglish (Inglês)