No Líbano, três idiomas oficiais são falados e ensinados em todas as escolas e universidades do país: árabe, francês e inglês. Mas o que mais devemos saber, além disso?

IMG_4184De acordo com o Relatório Global de Tecnologia e Informação, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, o Líbano está em 5º lugar no ranking de educação, em matemática e ciências, em 10º lugar em melhor qualidade geral de educação e em 13º na qualidade na gestão do seu sistema de ensino.

Quem busca uma pós-graduação em Humanas, Artes e História no Líbano, tem a oportunidade de estudar a língua, as religiões do mundo, a cultura, as relações exteriores e o comércio internacional, num laboratório vivo ideal nessas áreas, em virtude de sua localização geográfica.

A região é excelente para estudar a geologia, as placas tectônicas, o surgimento de novos continentes, engenharia e exploração de recursos naturais, visto que petróleo e gás natural são descobertas recentes, no subsolo marinho libanês.

O Líbano possui 42 universidades, várias com reconhecimento internacional, e 03 delas classificadas no ranking das melhores universidades do mundo, como a Universidade Americana de Beirute, a Universidade São José de Beirute e a Universidade Americana Libanesa; o que concede ao país excelência em sua qualidade de ensino.

As escolas e universidades em sua maioria iniciam seu ano letivo em outubro, e terminam em junho. Não há vestibular no país, como há no Brasil, por exemplo, porém, além dos exames nacionais do governo, as escolas e universidades, oferecem e administram um teste de nivelamento individual, e por vezes, outros testes suplementares de seletividade para o ingresso na instituição.

O tempo diário de aula das escolas libanesas é de 7 horas, enquanto que as universidades trabalham com horários e dias úteis diferenciados, que variam de uma instituição para outra, visto que o sistema oferecido na maioria delas é de horas crédito.

Os custos escolares e universitários também variam de instituição para instituição, e de acordo com o curso universitário escolhido, e seu programa de graduação. As despesas estudantis, de alunos estrangeiros, ou que residem longe da faculdade escolhida, incluem não apenas aplicação, matrícula, taxas diversas e de atividades por aluno, bem como materiais escolares; mas também, registro imobiliário, internet e seguro saúde.

O seguro saúde para os universitários variam de acordo com o número de semestres que o aluno irá estudar.

Estudantes estrangeiros podem estudar em escolas e universidades libanesas, desde que tenham um passaporte válido, que não expirará até seis meses após retornar ao país de origem, e obter uma autorização de residência estudantil para poder residir e estudar no país.

No caso de descendentes, e estudantes com dupla nacionalidade (libanesa e outra), cada consulado orientará quais os documentos necessários a serem apresentados na referida universidade. O mesmo se aplica aos estudantes ainda em idade escolar, cujo histórico escolar do país proveniente, nem sempre será apenas o único documento exigido para cursar as escolas libanesas.

Cursos universitários são ministrados em árabe e francês, mas o inglês está ganhando popularidade, especialmente nos estudos das ciências e negócios internacionais. 

O ensino no Líbano oferece o programa nacional (aprendizado do árabe) dentro do sistema francês ou dentro do sistema americano. O aluno que escolher o sistema francês, por exemplo, irá estudar o árabe, o francês e aprenderá o inglês como idioma extra. O mesmo ocorre no sistema americano, onde o conteúdo será visto em árabe, inglês e terá o francês como idioma extra.

Os alunos alfabetizados em outra nação e com total desconhecimento do árabe, e que não tiverem condições de seguir o programa nacional, deverão estudar no sistema americano, ou francês. O que significa ver todo o conteúdo em inglês ou em francês – dependendo do sistema escolhido -, e ser dispensado do sistema nacional. Esse procedimento requer autorização da UNESCO e Ministério da Educação, mediante requerimento da própria escola.

Em relação a estudantes brasileiros, não basta apenas trazer o histórico escolar da escola de origem e pronto. Há procedimentos a serem realizados previamente no Brasil e procedimentos a serem realizados no Líbano, antes de efetuar matricula em escola libanesa. Alunos provenientes da Escola Libanesa de Foz do Iguaçu têm algumas facilidades nessa questão, em virtude da escola já funcionar no sistema libanês, e já providenciar toda a documentação necessária para que seus alunos possam continuar os estudos no Líbano.

Por Claudinha Rahme

This post is also available in: enEnglish (Inglês)