Jabal Moussa 2

A diversidade do seu povo, natureza, patrimônio, culinária, entretenimento e arte fazem do Líbano um destino de férias fantástico. Connection Beirut gostaria de ir para além das principais atrações turísticas e explorar iniciativas que não só cumprem com esse critério, mas também aspiram fazer uma contribuição  positiva para o desenvolvimento econômico local e apoiar a conservação e sustentabilidade do meio ambiente.

Que iniciativas de turismo responsável existem no Líbano? De que forma apóiam  as comunidades e quais os desafios que enfrentam?

Ao longo das últimas duas décadas observou-se um crescente interesse pelo turismo rural, sustentabilidade e desenvolvimento comunitário. Várias iniciativas interessantes continuam a brotar no Líbano, incluindo as redes e cooperativas que encorajam uma abordagem econômica, social e ambiental holística do turismo. Um exemplo bem conhecido é o do turismo rural que tem sido desenvolvido na área de Chouf. Uma iniciativa similar mas menos conhecida é a de Jezzine (área localizada em Mount Niha, leste de Sidon), onde pode-se encontrar uma grande variedade de opções turísticas que enfocam natureza e  cultura.  Fazer caminhadas no Pinhal de Bkassine, explorar as cachoeiras de Jezzine ou os vestígios arqueológicos fenícios e romanos são algumas das experiências únicas a experimentar.

Como se viabilizam as iniciativas?

Mayssoun Korban, Gerente do Programa de Turismo Rural de ANERA, uma organização que trabalha na área do turismo rural desde 2005, explica como através de uma sinergia de intervenientes foram desenvolvidas normas, guias e pacotes de turismo rural em parceria com as comunidades locais. Uma série de serviços turísticos surgiram incluindo as Pousadas (Associação DIYAFA Association  , nome em árabe que significa hospitalidade), os operadores de turismo com enfoque na natureza, e desenvolvimento de produtos locais. “Aldeias como Ehmej, Douma e Hadath el Jebbe estão emergindo como líderes do turismo rural e são vistos por alguns como um exemplo a ser replicado em todo o país”, diz Korban. As pensões recebem apoio e acompanhamento através de ações de formação em áreas como a gestão, hospitalidade ou segurança alimentar. As mesmas contribuem para melhorar a qualidade dos serviços.

Outro exemplo prático é a Reserva da Biosfera Jabal Moussa (JMBR), e o seu programa de ecoturismo. A abertura de roteiros sinalizados ao longo das sete aldeias circundantes trouxe um aumento da atividade turística, capitalizou a força de trabalho local e lançou o empreendedorismo. Guias e guardas foram contratados, pensões abertas, os trabalhadores treinados e recrutados. Ghbaleh foi testemunha da abertura de uma cozinha que convida várias mulheres das aldeias a cozinhar os “Produtos Jabal Moussa.” Dentro em breve será aberto um novo roteiro sinalizado na área de Chouwan ao longo da icônico Rio Nahr Ibrahim.

Qual o impacto ao nível social?

A iniciativa Jabal Moussa reune as habilidades, cultura e costumes das diversas comunidades em torno de projetos, como o Programa de culinária e produtos manuais. Daniela Doumet acredita neste projeto e disse-nos, “Cada aldeia tem uma receita específica  e um modo singular de fazer as coisas, ou um prato que é característico de uma determinada aldeia. Nós enfocamos os aspetos comuns entre as comunidades: o calor do seu acolhimento. Proprietários de pousadas, guias, guardas, ou cozinheiros, todos eles recebem todos os visitantes de braços abertos, “. O mesmo é confirmado por Korban de ANERA,” Quando as pessoas estão reunidas à volta de um interesse comum, elas deixam de lado todos os seus conflitos, e utilizam as suas diferenças para enriquecer a experiência de cada um. ” A compreensão entre as comunidades incentiva uma cultura de paz, respeito e tolerância.

A implementação de um turismo responsável pode ser um desafio, e precisa de compreensão e apoio dos moradores.

Às vezes, os interesses econômicos e a pressão do desenvolvimento urbano pode destruir o meio ambiente local. Um exemplo é o uso de dinamite na reserva para criar novas pedreiras – uma questão que o JMBR luta para evitar. Em um país onde os resíduos e gestão da poluição são desafios constantes, organizações como JMBR espera sensibilizar a população e gerar um sentimento profundo para a proteção do meio ambiente. Doumet acrescenta, ” alimentar e divulgar  esse interesse crescente na natureza e no turismo rural e liderar dando um exemplo positivo, de modo a minimizar os efeitos antropogenicos “.

Numa altura em que a instabilidade regional levou a uma redução drástica do turismo, organizações libanesas, como Beyond Beirute continuam a acreditar e investir no setor. Nell Abou Ghazale, diretora desta organização aponta para a necessidade de melhorar o marketing do turismo rural; expandir os serviços de informações turísticas, incluindo os centros de informações dentro das regiões; assegurar um maior apoio de todos os intervenientes locais, incluindo municípios; e reforçar o quadro institucional e legal que regulamenta o turismo rural.

 

Fazer férias que aportam benefícios para comunidades locais

Certos destinos turísticos, serviços e produtos no Líbano estão trabalhando arduamente no sentido de cumprir com critérios ecológicos e gerar renda local, abrindo o caminho para o aumento do turismo responsável. Apoiar estas iniciativas, visitando-as e utilizando os seus serviços é a melhor maneira para assegurar que as suas férias aportam algo positivo para a comunidade.

11159944_1069138273100922_1475048466293312869_n

Por Patrícia Oliveira

This post is also available in: enEnglish (Inglês)