IMG_2901
Muito já se alcançou nas últimas décadas quanto às medidas preventivas. A odontologia vem ampliando seu enfoque nos métodos preventivos, capacitando os profissionais nesse sentido. Nas comunidades vêm sendo realizadas muitas campanhas de esclarecimento sobre a saúde bucal, principalmente em creches e em escolas de estudo primário. Por exemplo, em ambos os países, Líbano e Brasil, realizam-se em creches e em escolas para crianças, às vezes para os pais, programas de promoção de saúde bucal e de como prevenir cáries e doenças bucais.

Cirurgiões dentistas e estudantes de odontologia junto a assistentes vão pessoalmente às respectivas instituições para promover a saúde bucal, através de procedimentos aplicados diretamente na boca das crianças, como também através de jogos, historinhas e atividades que ajudam as crianças a entender a importância da prevenção bucal, não somente para a boca mas também à saúde geral.

O que se faz na maioria das escolas?        

Esclare-se sobre as principais dúvidas quanto às melhores formas de prevenção. Pode-se citar as mais importantes sendo : a redução do açúcar na dieta e a higienização correta.

A correta higienização deve ser feita com escovação diária e uso de fio dental. Além disso, existem alguns recursos preventivos que podem ser utilizados para o fortalecimento das estruturas dos dentes, tais como a aplicação de flúor e de selantes. IMG_2903

Flúor tópico:

O flúor é um componente químico que promove o fortalecimento do esmalte, sendo capaz de reduzir significativamente a cárie. O flúor tópico é aquele aplicado diretamente sobre os dentes já erupcionados.

O flúor pode ser aplicado sob a forma de soluções para bochechos, gel, mousse, verniz e por meio de pastas fluoretadas utilizadas na escovação. Essas são as formas mais eficientes e seguras de se aplicar o flúor tópico. É importante ressaltar que, com relação à pasta de dente com flúor, ela é somente indicada para crianças acima de três anos. Menos que três anos, a pasta dental não deve conter flúor. E a criança sempre deve cuspir bem para não engolir a pasta. Bebês e crianças que não saibam cuspir, devem usar apenas cremes dentais sem flúor.

A quantidade de dentifrício deve ser semelhante a um grão de ervilha.

Higiene dentária:

A higienização com escova dental deve se iniciar logo após a erupção do primeiro dentinho. Os pais devem estar cientes da importância da escovação e também se sentir encorajados a higienizar os dentes de seus filhos com escova dental, após cada refeição. foto 8

Em primeiro lugar, devem escolher uma escova dental adequada, que tenha cerdas macias e arredondadas, cabo longo e cabeça pequena.

A higiene na fase de dentição decídua (dente de leite) é muito importante porque crianças que apresentam cáries nessa fase têm mais chances de desenvolver novas lesões de cárie na dentição permanente.

Quando se deve trocar a escova?

Sugerimos sua troca no mínimo a cada mês, não só pela deformação das cerdas, mas pelo grande número de colônias de bactérias que podem ser encontradas nelas.

Ao fazer a higiene, recomenda-se uma técnica que atinja todos os dentes em suas diferentes faces: na frente (vestibular) e atrás (lingual), procurando dar atenção às áreas próximas à gengiva e às faces de cima (mastigatória).

Técnica de escovação:

A escova deve estar inclinada (45˚) em direção à gengiva, fazendo pequenos movimentos circulares, sem remover a escova. Esses movimentos devem ser repetidos cerca de dez vezes em cada região de dois dentes. Também é importante seguir uma sequência para que nenhuma face deixe de ser higienizada. Os pais também devem higienizar a última face dos dentes posteriores, utilizando o movimento de pêndulo. Nas faces mastigatórias (incisais e oclusais), serão feitos movimentos ântero-posteriores. Essa técnica é indicada para bebês porque é simples e de fácil execução.

Técnica simplificada para crianças pequenas:

Deve-se realizar movimentos circulares. Ao final da higienização, não se deve esquecer de escovar a língua delicadamente. Alertamos que, além dos dentes e a língua, as gengivas deverão sempre ser higienizadas. E o adulto deve se posicionar por trás da criança para realizar a escovação.

O uso do fio dental:

IMG_2962

O fio dental é completamente indispensável para uma perfeita higienização bucal. É um elemento usado para a limpeza dos espaços interdentais, já que nesses locais não se consegue acesso com a escova. É ali onde há contato dos dentes que há maior facilidade para reter placa bacteriana e restos alimentares.

Como utilizar o fio dental na criança?

A criança pode ser colocada em posição idêntica à utilizada na escovação. O adulto deve retirar cerca de 30 cm de fio, enrolando as extremidades em volta dos dedos médios de cada mão. Em um dedo, deve enrolar uma medida pequena e no outro, o restante.

Com as pontas do polegar e indicador, o fio dental deverá ser esticado, sendo que o espaço contido entre os dedos deve ser de aproximadamente 3 cm. Isso será usado para limpar as áreas de contato dos dentes inferiores, sem força-lo para não ferir a gengiva. Deve ser mantido bem esticado para que possa ter mais eficiência.

O fio deve ser curvado em forma de “C” sobre a superfície lateral de cada dente e deslizado entre o dente e a gengiva. Esse movimento deve ser repetido quatro vezes para cima e para baixo, removendo a placa dentária de toda a superfície.

É imprescindível lembrar que o sucesso da higienização da boca está substancialmente ligado à motivação e conscientização do núcleo familiar, para que esse procedimento se concretize como um hábito saudável.

Conclusão:

E somente atividades de prevenção bucal que são realizadas nas creches e nas escolas são suficientes? Com certeza não. Vale lembrar que há vários profissionais da saúde geral que também promovem atividades para prevenção de doenças sistêmicas gerais, tais como controles ou tratamentos nas áreas de fonoaudiologia, dermatologia, psicologia, testes de audição, visão, exames físicos, exames de rotina antes do começo do ano letivo, assim como a verificação se as vacinas estão em dia.

foto 2Os conhecimentos adquiridos, e isso é muito importante, devem ser transmitidos para quem irá cuidar da criança, sejam eles pai, mãe, avós, tios ou professores. E a supervisão deve ser feita diariamente por um responsável até que a criança esteja com aproximadamente nove anos de idade.

Para a saúde bucal, o meio preventivo mais eficaz é o controle da higiene e o equilíbrio da dieta. Para manter uma dentição saudável, é preciso, sobretudo, querer.

De fato, nesta época em que vivemos, na qual a estética está tão valorizada, vale lembrar que num sorriso, o saudável é o belo. Não há ouro, pérola ou pedra preciosa que substitua um dente perdido.

Finalizando, deve-se levar em conta a individualidade e a realidade da criança diante dos diferentes padrões culturais e hábitos familiares.

O respeito pela criança é fundamental!

Dra cirurgiã-dentista Rita Rami

IMG_2980 IMG_2968

 

This post is also available in: enEnglish (Inglês)